Herpes-Zóster: Sintomas, Complicações e Prevenção

O herpes-zóster, mais conhecido como cobreiro, é uma infecção viral que ninguém quer enfrentar. A dor intensa e a erupção cutânea são apenas a ponta do iceberg. Vamos explicar o que é o herpes-zóster, por que ele ocorre, quem está mais propenso a desenvolvê-lo e como você pode se proteger ou tratar essa condição.

O que é herpes-zóster?

O Herpes-zóster é causado pelo vírus Varicela-zóster, o mesmo responsável pela catapora. Se você já teve catapora em algum momento da vida, saiba que o vírus não foi embora completamente; ele fica adormecido em suas células nervosas, esperando uma oportunidade para reaparecer.

Às vezes, anos depois, quando o sistema imunológico está mais fraco ou sob estresse, ele pode despertar como herpes-zóster, causando uma erupção cutânea dolorosa com bolhas.

Herpes-Zóster: Sintomas, Complicações e Prevenção

Quem está em risco de desenvolver herpes-zóster?

Quem tem risco de desenvolver a doença? Geralmente, são pessoas que já tiveram catapora. Entre elas, aquelas com maior probabilidade de desenvolver a doença são:

  • Indivíduos com um sistema imunológico enfraquecido (devido ao câncer, HIV, receptores de transplantes de órgãos ou que estão passando por quimioterapia).
  • Pessoas com mais de 50 anos de idade.
  • Que estavam doentes.
  • Que sofreram algum tipo de trauma.
  • Que estão sob estresse.

Quais são os sintomas do herpes-zóster?

Os primeiros sintomas da doença incluem:

  • Febre
  • Calafrios
  • Dor de cabeça
  • Cansaço
  • Sensibilidade à luz
  • Desconforto estomacal

Outros sinais e sintomas que aparecem alguns dias após os primeiros sintomas incluem:

  • Uma sensação de coceira, formigamento ou ardência em uma região da pele.
  • Vermelhidão na pele na região afetada.
  • Erupção cutânea elevada em uma pequena área da pele.
  • Bolhas cheias de líquido que se rompem e depois formam crostas.
  • Dor leve a intensa na área da pele afetada.

Complicações do herpes-zóster

O herpes-zóster é mais do que apenas uma erupção dolorosa. Ele pode levar a complicações sérias, como a neuralgia pós-herpética, infecções bacterianas nas bolhas e, em casos raros, paralisia nervosa ou até mesmo a disseminação do vírus para outras partes do corpo, como o cérebro, pulmões ou fígado.

Prevenção e tratamento

A boa notícia é que existe uma vacina para prevenir o problema. A Vacina Herpes-Zóster Recombinante (VZR), conhecida como Shingrix. Segundo o fabricante, ela reduz significativamente o risco de desenvolver a doença e suas complicações.

Herpes-Zóster: Sintomas, Complicações e Prevenção

Embora não exista uma cura definitiva para o herpes-sóster, há tratamentos disponíveis para controlar seus sintomas, por exemplo:

Medicamentos antivirais

Esses medicamentos reduzem o desconforto e a aceleram a recuperação dos sintomas, especialmente se iniciados até 72 horas após o primeiro sinal de herpes-zóster. Além disso, eles diminuem o risco de complicações como a neuralgia pós-herpética, que é a dor persistente que  surge após a erupção desaparecer. Conheça alguns medicamentos antivirais:

  • Aciclovir
  • Famciclovir
  • Valaciclovir
  • Analgésicos de venda livre

Os medicamentos a seguir tem como objetivo aliviar a dor:

  • Paracetamol
  • Ibuprofeno

Outros medicamentos

Se houver uma infecção bacteriana associada à erupção cutânea do herpes-zóster, antibióticos são prescritos. Além disso, medicamentos anti-inflamatórios, como a prednisona, são indicados se o herpes-zóster afetar áreas como os olhos ou outras partes do rosto.

Atenção! Evite a automedicação. Procure um profissional de saúde.

O herpes-zóster é contagioso?

Apesar de o herpes-zóster não ser contagioso, o vírus varicela-zóster é. Se você tem um surto ativo de herpes-zóster, pode transmitir o vírus para alguém que nunca teve catapora ou que não foi vacinado contra ela.

Se isso acontecer, a pessoa infectada não vai desenvolver herpes-zóster, mas sim catapora. Por isso, é essencial tomar precauções para evitar a transmissão.

Se você está com herpes-zóster, siga estas recomendações:

  • Mantenha a área da erupção bem coberta
  • Lave as mãos frequentemente
  • E evite contato próximo com pessoas que são mais vulneráveis ao vírus, como bebês, mulheres grávidas ou indivíduos com sistemas imunológicos enfraquecidos.

Dessa forma, você ajuda a proteger os outros e a prevenir a disseminação do vírus.

Conclusão

O herpes-zóster é uma infecção viral que provoca dores intensas e pode trazer complicações diversas. Se você está lidando com a doença, é fundamental procurar um médico para obter orientação sobre como aliviar os sintomas e evitar problemas mais graves.

Não hesite em pedir ajuda—embora o herpes-zóster possa ser bastante desconfortável, há várias opções para reduzir o sofrimento e minimizar o risco de complicações no futuro.

Obs. : As informações apresentadas neste artigo não devem ser utilizadas para realizar autodiagnóstico ou automedicação. Recomenda-se sempre consultar um médico para obter orientação profissional sobre sua saúde.

Leia mais: