Vamos ensinar os nossos filhos a dizer obrigado, por favor e desculpa: quando crescerem, serão pessoas melhores

 

Nunca é cedo para aprender boas maneiras e educação. Embora possa parecer óbvio, esta frase esconde um significado muito profundo, útil e essencial. Infelizmente, as relações entre pais e filhos escasseiam cada vez mais nesses elementos básicos, que nunca deveriam faltar.

Ensinar as crianças a usar termos como “por favor”, “obrigado”, “bom dia” e “desculpe” é de extrema importância, pois estas não são apenas palavras aleatórias, mas sim ferramentas poderosas para que se tornem adultos melhores.

As boas maneiras não têm nada a ver com a idade – na verdade, são valores que devem ser transmitidos e explicados pelos pais e compreendidos pelas crianças desde os primeiros anos. Trata-se de construir um futuro para eles como adultos gentis, respeitosos e bem-sucedidos, porque é graças à educação que podemos conseguir o que desejamos, sem prejudicar nem sobrecarregar ninguém.

Tentar fazer os nossos filhos perceber a importância destas palavras “mágicas” significa investir no seu futuro e dar ao mundo a oportunidade de ter uma pessoa que possa melhorá-lo. Por isso mesmo, o incentivo dos pais é essencial.

Se uma criança viver num clima positivo e assertivo em que as boas maneiras imperam, vai agir de acordo com isso ao crescer, pois essas mesmas dinâmicas familiares vão ficar marcadas no seu interior.

As crianças aprendem com os nossos exemplos, por isso se testemunharem e conviverem com os modelos certos, amadurecerão conscientes da importância de usar as palavras e expressões certas no momento certo.

Afinal, a cortesia é sempre a chave que abre as portas dos relacionamentos e nunca deve olhar a fatores como a idade, sexo, religião, cultura, entre outros. Todos os seres são merecedores de respeito.

Os pequenos são como esponjas, pois absorvem tudo o que veem ou ouvem, e por esse motivo, há que saber dar o exemplo. Desta forma, é muito provável que se tornem adultos felizes, gentis e com gosto em ajudar os outros.