Se você perdoa demais, os outros vão habituar-se a não respeitá-lo

É muito importante saber perdoar – o perdão é um bálsamo para a alma de quem agiu mal, mas também para quem sofreu, porque a raiva e o ressentimento só trazem tristeza e infelicidade.

Ainda assim, o perdão deve ser oferecido como um presente valioso, não algo que deve ser desperdiçado, porque é um ato nobre e nunca deve ser tomado como garantido.

Se os outros acharem que o nosso perdão está sempre garantido, é provável que acabem perdendo o respeito por nós.

Ao perdoar alguém, fazemos as pazes com o passado, dispostos a viver o presente e futuro com confiança. Mas perdoar não significa esquecer, e mesmo que perdoemos alguém, é preciso aprendermos com a experiência.

Aceitar um pedido de desculpa é oferecer a alguém uma segunda oportunidade, para a pessoa mudar o seu comportamento e mostrar que é digna da nossa confiança. É importante que essa pessoa não confunda o perdão com impunidade, pois assim não se vai realmente esforçar por merecê-lo.

Não há perdão para quem abusa do perdão dos outros – isso mostra uma total falta de respeito e consideração. Por isso, mesmo quando decidimos perdoar alguém, devemos mostrar-nos firmes.

Se já perdoou alguém que continua a fazer os mesmos erros, é seu direito e dever negar-lhe outro perdão, para preservar a sua autoestima, bem-estar e respeito e amor próprios.

Infelizmente, algumas pessoas, mesmo que peçam desculpa, não querem de fato mudar, e é importante aprender a distinguir as que são dignas do nosso perdão das que nunca vão ter.