Quais as causas da impinge e como tratá-la?

Ela pode aparecer em diversas regiões do corpo e é muito contagiosa (porém não é um problema grave).

Trata-se de uma infecção causada por um fungo que provoca pequenas erupções circulares sobre a pele.

Quais são as causas e os sintomas?

O fungo que causa este problema na pele se chama tinea corporis. Não é o único tipo que nos afeta, já que também podemos sofrer com o pé de atleta (frieira) pelo tinea pedis, ou com a tinea cruris, ou micose da virilha, causada pelo fungo tinea crural.

Os sintomas da impinge começam entre os 4 e 10 dias posteriores ao contato com o fungo.

O primeiro sinal é uma erupção em forma circular com bordas ligeiramente elevadas.

Na pele do centro do círculo, podemos ver certas erupções, mas, em geral, está saudável.

O problema é que a coceira pode ser insuportável e coçar-se pode espalhar o fungo por outras partes do corpo.

Esses “anéis” podem se multiplicar por outras partes da pele ou também se fundir entre si. Nos casos mais graves, formam-se bolhas e feridas cheias de pus.

A impinge pode ser transmitida de várias maneiras diferentes, tanto diretas quanto indiretas. Por exemplo, ao ter contato direto com a pele de uma pessoa infectada ou com um animal de estimação (cães, gatos, cavalos e coelhos podem ter essa doença).

As crianças são mais vulneráveis a esse problema do que os adultos. Além disso, existem fatores de risco que aumentam o aparecimento e desenvolvimento da impingem:

Sofrer com suor excessivo; viver em regiões quentes ou úmidas; usar roupas justas; praticar esportes de contato; compartilhar roupas ou toalhas; estar com um sistema imunológico fraco.

Além disso, para prevenir o aparecimento da impinge, devemos evitar o contato com pessoas infectadas, e não compartilhar roupas que entrem em contato direto com a pele. Também é importante levar nosso animal de estimação ao veterinário e enxugá-los bem depois do banho.

Recomendamos os seguintes soluções naturais para a impingem. Veja!

Óleos essenciais: alguns óleos têm propriedades antimicóticas potentes, como é o caso da lavanda ou da melaleuca. Aplicá-los várias vezes ao dia evita a propagação do fungo.

Como fazer: em um recipiente, misture 2 colheres de água e 2 colheres de óleo essencial (o que tiver escolhido, lavanda ou de melaleuca). Aplique sobre a região afetada e cubra com uma gaze, deixe agir por várias horas antes de retirar o curativo, repita 3 vezes ao dia, durante um mês seguido.

Alho: tem propriedades antimicóticas. Por isso, pode ajudar você no tratamento da impinge. Talvez, vai arder um pouco no primeiro contato. Deixe-o sobre a pele afetada o máximo que puder, para aproveitar seus benefícios.

Como fazer: descasque o dente de alho e corte-o em rodelas; Coloque-o sobre a lesão e cubra com uma gaze; deixe agir durante toda a noite e retire pela manhã; repita, pelo menos, durante uma semana (ou até que a lesão desapareça).

Vinagre de maçã: tem muitas propriedades, dentre as quais se destacam as antibióticas e antimicóticas. No início, é normal arder um pouco. Use o vinagre frio para acalmar os sintomas.

Como fazer: Umedeça uma gaze, pano ou algodão com vinagre de maçã. Aplique sobre a lesão, pressionando levemente. deixe secar ao ar livre. repita entre 3 e 5 vezes por dia.

Previna-se: lavar as mãos ao chegar em casa, antes de comer ou depois de usar o banheiro; tomar banho todos os dias (sobretudo, depois de praticar exercícios) e usar sabonetes neutros, são medidas mais do que eficazes. Após o banho, é importante que a pele esteja bem seca. Lembre-se de que os ambientes úmidos são os preferidos pelos fungos. Enxugue-se com uma toalha e demore-se mais nas áreas onde há pregas, como as axilas, por exemplo. Use talco ou amido de milho para manter a pele seca.

Obs.: este site fala de tratamentos naturais alternativos, portanto não substitui um especialista. Visite o seu médico regularmente.