Professor se deita no chão para ajudar aluno com necessidades especiais

Você conhecerá LJ Compton, um menino portador de síndrome de Down e autismo, que frequenta uma escola em Marion, Ohio (EUA).

Quando o seu ônibus escolar chegou atrasado ao estabelecimento, o menino teve dificuldade em entender aquilo que estava sentido, devido ao autismo.

Resultado de imagem para Autismo

Apesar de residir mais perto de outra escola, a mãe de LJ, Steph, optou pela Garfield Elementary School devido à atenção que os funcionários e professores sempre prestaram ao seu filho.

Segundo Steph, LJ é um menino feliz, que sempre está sorrindo, mas de vez em quando sente-se dominado por emoções que não consegue compreender ou estímulos que não consegue assimilar e tem um colapso.

Naquele dia, a mãe não estava por perto para ajudá-lo, mas felizmente o menino não teve que passar pela crise sozinho.

Steph não sabia o que tinha acontecido até ver uma fotografia do filho no Facebook, publicada por Amber McKinniss, estudante da escola. “Eu simplesmente tive de tirar uma foto. Foi a coisa mais incrível que já vi!”, escreveu.

Na foto, é possível ver John Smith, um professor de longa data de LJ e diretor-assistente da escola, deitado no chão, ao lado do menino assustado.

Sem hesitar, John colocou-se no mesmo nível que LJ, sem preocupação com a sujeira do chão ou com o que os outros pensariam.

Entretanto a foto viralizou, e muitas pessoas elogiaram à cerca da sensibilidade de John e a dedicação da escola em proporcionar um ambiente seguro e aconchegante às crianças.

“O Sr. Smith é um dos meus professores favoritos. Ele é o melhor” e “ainda bem que agora ele é diretor, é um excelente homem” são apenas alguns dos muitos comentários que se podem ler na publicação.

“É realmente incrível saber, do ponto de vista de um pai, que existem pessoas que se preocupam de verdade com o seu filho”, disse Steph, mostrando-se orgulhosa da decisão de ter Steph na Garfield Elementary School.

É evidente que John compreende que as crianças necessitam de tempo e conforto para processar as emoções. Embora tenha ido além da sua função, todos professores deviam ter este nível de conhecimento e empatia, não acha?