Os avós nunca deviam ter um neto favorito: diferenças podem causar traumas profundos

O relacionamento com os avós é um recurso muito precioso na vida daqueles que tiveram a sorte de poder conhecer esses “segundos pais”. Os avós dão amor, atenção, proteção, segurança e todo o mimo do mundo, sendo uma referência essencial para os netos.

Porém, nem sempre tudo corre como devia, e não é incomum que os afetos sejam distribuídos da forma inadequada – estamos falando de quando os avós elegem um neto preferido e se esquecem do(s) outro(s).

Embora seja natural ter mais compatibilidade com uns membros da família do que com outros, não devem existir diferenças notórias no tratamento de filhos e netos.

Porquê? Quando uma criança se sente ignorada em detrimento de um irmão ou primo, sofre a nível emocional e a sua autoestima é severamente afetada. Como resultado, a criança pode ficar traumatizada e procurar isolar-se e fechar-se às relações com as outras pessoas.

Naturalmente, a criança não é a responsável pelo fato de os avós preferirem outro neto, mas é muito difícil para os mais pequenos conseguirem compreender isso.

Os traumas emocionais da infância prejudicam o processo de formação da personalidade e o futuro da criança, por isso os adultos devem sempre evitar comparações, preferências e tratamentos diferenciados.

Fonte: Partilha