Menino nasce com “síndrome do cabelo impenteável” e vira sensação nas redes sociais

Um menino conquistou milhares de pessoas nas redes sociais com seus belos e únicos cabelos. Mas não é que sua mãe não o penteie, é que ele tem “síndrome do cabelo impenteável”.

Locklan Samples é o filho de 1 ano e 4 meses de idade de Katelyn e Caleb Samples, que vive em Roswell, Geórgia, nos EUA.

No entanto, o segundo filho da mãe de 33 anos se destacou entre milhares de crianças por uma coisa: cabelo despenteado que o faz parecer particularmente engraçado.

Foto: reprodução/instagram

Quando Lock, como é carinhosamente chamado, nasceu, ele tinha cabelos com fios pretos semelhantes ao da mãe. No entanto, quando completou 6 meses de vida, seu cabelo começou a ser substituído pelo que seus pais chamavam carinhosamente de “penugem de pêssego”.

Com o passar do tempo, a aparência e a cor acabaram mudando, com uma textura particularmente suave e muito parecida com a cor loira de seu irmão Shep de 3 anos.

E embora eles tentassem lavá-lo, era difícil quando o molhavam, pois o secavam, escovavam e ele recuperava imediatamente sua forma desgrenhada.

Um dia a mãe recebeu uma mensagem na Instagram de um estranho, a pessoa perguntou-lhe se o menino tinha sido diagnosticado com “síndrome do cabelo impenteável”.

Imediatamente a mãe fez algumas pesquisas e consultou um pediatra, que a encaminhou a um especialista. E embora a médica inicialmente não acreditasse que fosse a síndrome, da qual ela tinha visto apenas um caso em 19 anos, os testes confirmaram que era portador da síndrome.

A “síndrome capilar impenteável” é uma condição extremamente rara que faz o cabelo crescer com uma textura muito macia e facilmente quebrável. No mundo, existem apenas 100 casos conhecidos desta condição.

E embora tenha sido inicialmente um choque para a mãe saber que seu filho tinha a síndrome, aprendeu que isso não afetaria a saúde dele que tudo em sua vida continuaria normalmente, exceto o cabelo “despenteado”.

Os pais se juntaram a um grupo do Facebook de pais de crianças com a mesma síndrome, sendo um grande apoio para a família.

Fonte: es.theepochtimes