Mãe desabafa sobre criar um filho hiperativo: “Às vezes não sei mais o que fazer”

Criar filhos não é fácil – nada fácil – mas criar um filho com necessidades especiais pode ser ainda mais desafiante.

Para Taylor Meyers, mãe solteira de dois filhos, criar um filho de 4 anos com transtorno de déficit de atenção/hiperatividade pode ser particularmente difícil às vezes, e é por isso que a sua publicação honesta viralizou.

Tudo começou quando a filha de Meyers, Sophie, se portou mal na fila da caixa do supermercado. Ela estava esperneando no carrinho, enquanto tinha um acesso de raiva por causa de batatas fritas, e e tornou o momento muito difícil para a sua mãe e o seu irmão mais novo.

Meyers ignorou Sophie, não querendo reforçar o mau comportamento, mas também não querendo desistir das suas compras e abandonar a loja.

Finalmente, ela ouviu alguém atrás dela dizer algo desagradável: “Oh! Dê-lhe um biscoito para que ela cale a boca!”, e foi aí que explodiu.

“Eu poderia ter respondido de uma forma mais agradável. Eu poderia ter explicado àquela mulher que a minha filha de 4 anos tem hiperatividade bastante severa, que crio os meus dois filhos sozinha, que estou a dar o meu melhor e não tive escolha. Mas em vez disso, saiu-me da boca que a minha filha tem apenas 4 anos e que a mulher precisava de cuidar da sua própria vida”, contou Meyers.

Embora a maioria das crianças tenha acessos de raiva, estes podem ser especialmente graves para crianças com hiperatividade, que têm problemas de impulsividade e em expressar as suas emoções.

Felizmente, a história teve um final feliz: enquanto Meyers passava os seus artigos, outra mulher aproximou-se de Sophie e tentou distraí-la.

“Às vezes, é só preciso um comentário para quebrar alguém. Você nunca sabe o que alguém está passando. Você não conhece os problemas que uma criança hiperativa enfrenta, e a menos que saiba a dificuldade de ser pai de uma criança como a minha, não pode julgar-me. Mas também basta um pequeno ato de bondade para fazer uma mãe sentir conforto e ter valor. Obrigado por nos ter ajudado e apoiado. As mães têm de se defender umas às outras”, escreveu Meyers nas redes sociais.