Homem compra o prédio do banco que há 18 anos antes tinha recusado um empréstimo para que ele pudesse iniciar o seu negócio

Obviamente conhece a expressão “quem ri por último, ri melhor”. Foi isso o ocorreu com um homem de 39 anos.

Quando jovem, na idade de 21 anos, Adam Deering viu seu empréstimo ser recusado pelo gerente de um banco, a desculpa: “Você é muito jovem”.

A situação mudou drasticamente, agora, Deering é dono de um negócio multimilionário e comprou o prédio do banco que havia recusado seu empréstimo.

“Eu sempre acreditei firmemente que se alguém trabalhar duro o suficiente para realizar o seu sonho, então tudo é possível. Deixei o meu trabalho como vendedor aos 21 anos, porque sabia que tinha capacidade para criar um negócio de sucesso, mas não tinha um centavo em meu nome, então precisava de um empréstimo bancário”, explicou Adam.

Adam relembrou a ocasião que foi tachado de inexperiente pelo gerente do banco. “Então, apresentei ao banco um plano de negócios abrangente e pedi £ 10.000 (R$ 66.000,00), mas o gerente não pareceu levar-me a sério. Coloquei o meu coração e alma no plano de negócios e lembro-me de ter os meus dedos cruzados sob a mesa enquanto esperava nervosamente dela resposta do gerente. Fiquei arrasado quando ele me disse que eu era muito jovem e inexperiente e que não iam arriscar apostar em mim”, continuou.

Ele conta que no início do seu empreendimento pensou em desistir, mas recusou ser derrotado.

“Sem o dinheiro, passei 4 meses a ligar para as pessoas de um pequeno escritório porque não tinha dinheiro nem para pagar uma mesa e uma cadeira. Esses primeiros meses foram tão difíceis, sem saber se conseguiria pagar as minhas contas. Houve muitas vezes em que pensei que fosse o fim, mas recusei-me a desistir e valeu a pena”, acrescentou.

Com trabalho árduo e determinação, Adam viu seu negócio crescer e tornou-se milionário.

O seu exemplo tem inspirado outros jovens empreendedores. “Construir um negócio do zero certamente não é fácil e há sempre momentos em que nos questionamos se vai dar certo. A chave é permanecer fiel à nossa visão e continuar. De resto, vão sempre haver obstáculos a superar. Quando me recusaram o empréstimo, foi difícil, mas como eu tinha um sonho e estava tão focado em alcançá-lo, fi-lo acontecer de qualquer maneira. Para mim, comprar o prédio do banco traz as coisas de volta num círculo completo e mostra que eu estava certo em continuar a acreditar em mim mesmo”, afirmou.

LEIA TAMBÉM

>>> Noiva diz à amiga com câncer que não quer uma madrinha de casamento sem cabelos nas fotos.

>>> “Esperem-me aqui”: essas foram as últimas palavras de uma mulher que abandonou as duas filhas.