Especialista em segurança cibernética diz: “Se vissem o que eu vejo, não dariam celulares aos filhos”

Muitos pais acabam dando tablets e celulares aos filhos pequenos, para mantê-los entretidos e ter alguns momentos de paz. Porém, é preciso estarem cientes que a internet é um mundo, e não tem só coisas boas e inofensivas.

Na internet, as crianças estão expostas a inúmeros perigos, como conteúdo adulto facilmente acessível, cyberbullying, incentivo ao vício, entre tantos outros.

A espanhola Silvia Barrera, policial especialista em segurança cibernética, publicou um livro para alertar sobre isso: “Os nossos filhos na Web – 50 coisas que devemos saber para uma boa prevenção digital”.

Segundo a profissional, o mundo em que os pais viviam na infância e adolescência é bem diferente daquele em que vivemos atualmente.

“Devemos entender que os adultos herdaram a rede e a utilizam mais para fins profissionais ou utilitários (fazer compras online, usar serviços bancários, etc), mas os filhos não. Para eles, o mundo gira em volta do digital. A maneira de comunicarem é visual: eles não recebem chamadas telefônicas, mas sim um vídeo do TikTok, rede social que se tornou uma febre entre crianças e adolescentes. Este é o mundo em que eles nasceram. Eles vivem-no com a mesma intensidade com a que vivemos o mundo físico na altura e, portanto, devem ser compreendidos. É por isso que é vital criar uma cultura digital desde a infância. É o que eles vão projetar nas suas vidas! É um investimento no futuro. A internet não é um fenômeno que terá fim um dia. Veio para ficar, está aqui e vai continuar e evoluir. É por isso que é tão importante entender este novo mundo”, explicou Silvia.

Grande parte dos pais ainda acham que a internet é apenas um espaço de brincadeira e diversão, mas a verdade é que envolve muitos riscos. Se nos preocupamos em deixá-los sozinhos na rua, devemos igualmente preocupar-nos em deixá-los sem supervisão no mundo virtual. Para salvaguardar as crianças, é imperativo impor-lhes limites.

Fonte: Altamente.org