Enfermeiro do SAMU se curou da covid-19 e voltou à linha de frente

 

O enfermeiro emergencista Max Rodney Cindra Braga, de 43 anos, depois de ficar 9 dias na UTI, voltou à linha frente na luta contra a Covid-19.

Max trabalha no SAMU de São João de Meriti (RJ), e ficou internado no Hospital Estadual Zilda Arns, em Volta Redonda (RJ), referência no tratamento da doença.

Os sintomas da doença surgiram, no dia 11 de abril, com um quadro de tosse e falta de ar, que com o tempo piorou, e aí teve que procurar ajuda médica.

Depois de curado, mesmo com dificuldades para falar, pediu autorização para chefe voltar a trabalhar.

“Assim que atestei que estava curado, insisti com a minha chefe para voltar a trabalhar e já estou atendendo. Tem muita gente morrendo, muitos colegas estão em baixa, há muitos profissionais da Saúde esquecidos… eu não podia ficar parado”, disse o enfermeiro.

O profissional relatou como é estar em cima de um leito de UTI. “Eu estive dos dois lados do combate à Covid e foi muito triste tudo que eu vi. No meu leito, eu ficava em frente à sala de ressuscitação e, como é difícil reverter uma parada cardíaca de um paciente com coronavírus, eu via entre 3, 4 pessoas morrendo por noite. Sentia vontade de levantar e ajudar meus colegas, mas não conseguia sequer levantar a cabeça”.

O emergencista não fazia parte do grupo de risco e, mesmo assim, desenvolveu a forma mais grave da doença. Depois disso, fez um pedido: “Fiquem em casa, cuidem dos seus idosos, pais, mães”.

Fonte: O Globo