Enfermeira adota bebê que conheceu na UTI

A enfermeira Angela Farnan, chefe do setor pediátrico de um hospital em Illinois, EUA, mudou sua vida radicalmente depois que conheceu, Blaze, um bebê que estava internado na UTI da pediatria.

O bebê sofria de uma doença cardíaca congênita, síndrome de hipoplasia do coração esquerdo.

Na ocasião, a família biológica não tinha condições financeiras para cuidar da saúde dele, já que para tratar da doença era necessário fazer várias cirurgias.

Angela, então, resolveu entrar com um processo para obter a guarda temporária do menino.

Na segunda cirurgia, a mãe de Blaze resolveu passar a guarda definitiva para a enfermeira.

Em entrevista ao programa Good Morning America, Farnan disse: “Foi um dia bem emocionante, porque eu e meu marido nos apaixonamos por Blaze e estava ficando cada vez mais próximo o dia em que teríamos que nos separar dele. Eu disse a ela que como mãe aquela era a melhor decisão que poderia ter tomado. Não havia dúvidas de que ela amava o filho”.

Depois que  casou,  descobriu que não podia engravidar. E considerava as crianças internadas na pediatria como seus filhos.

“Quando alguém me pergunta quantos filhos eu tenho, eu digo que depende do dia. Às vezes 15, outros dias 20.”

Fonte: Jornal de Brasilia