Crianças estão com dificuldades para segurar lápis devido ao uso excessivo de dispositivos eletrônicos, alertam pesquisadores

Pesquisas indicam que o uso excessivo de dispositivos eletrônicos afeta o desenvolvimento dos músculos necessários para segurar um lápis.

O uso indiscriminado dos dispositivos eletrônicos prejudica a coordenação motora das crianças, impedindo que os músculos dos dedos da mão sejam treinados para segurar o lápis.

A fim de segurar um lápis e movê-lo, você precisa de um forte controle dos músculos de seus dedos”, disse Sally Payne da entidade NHS Trust Foundation, Inglaterra.

Os pais acham mais fácil dar um celular ou tablet para as crianças do que dar-lhes atividades que desenvolvem os músculos como cortar e colar, montar blocos de construção e brinquedos de arremesso”, acrescentou Sally.

Sem tais atividades, os músculos do ombro, do pulso e do cotovelo, necessários para escrever, não se desenvolvem.

Alguns professores ainda afirmam que algumas crianças não sabem como segurar uma escova ou lápis.

Quais são os efeitos da incapacidade das crianças de segurar os lápis corretamente?

A pesquisa informou que a criança que não desenvolve a capacidade de saber escrever pode ter fraco desempenho acadêmico.

Os especialistas indicam que a saber escrever é uma habilidade que é adquirida ao longo da vida e aprender a escrever à mão ensina mais do que apenas colocar palavras no papel.

Esta não é a primeira vez que os pesquisadores levantaram preocupações sobre os efeitos da tecnologia na capacidade das crianças de usar canetas ou lápis.

Que outros efeitos o uso excessivo dos dispositivos têm nas crianças?

O uso de excessivo dos aparelhos também pode afetar o comportamento das crianças.

Pesquisadores, por exemplo, descobriram que usar os dispositivos para acalmar as crianças que estão fazendo birras pode afetar seu desenvolvimento emocional.

Um estudo 2017 também constatou que os atrasos na fala de crianças pequenas podem ter algo a ver com a excessiva exposição a dispositivos móveis.

Bebês com mais tempo de exposição aos dispositivos têm um risco de aumentar o atraso na fala”, disseram os pesquisadores.