Consequências de discutir na frente dos filhos

As discussões fazem parte da convivência, mas afetam a todos; os próprios protagonistas, aqueles que ouvem a discussão, mas acima de tudo as crianças. Todos são afetados de maneiras diferentes, mas no caso das crianças, elas acumulam gradualmente pensamentos ruins e geram um certo mal-estar que muitas vezes nem sabemos como administrar ou de onde vem.

Medo e insegurança são os sentimentos que surgem nos filhos quando eles veem seus pais discutindo. Basicamente é porque eles não compreendem ou não sabem quem começou a discussão ou como ela vai terminar.

É uma incerteza que frequentemente leva à baixa autoestima da criança e também a uma diminuição de sua confiança em seus pais.

Se um casal discutir e, às vezes, gritar, a reconciliação também deve acontecer na frente das crianças. Essa atitude  os ajudará a aprender que podem emitir sua opinião e administrar melhor, suas próprias emoções, explicando-as e expondo-as sem a necessidade de ter medo ou insegurança.

Além disso, a criança, quando confrontada com uma simples discussão, pode aprender que é possível dar uma opinião sem ficar irritada, e é realmente uma lição para eles que, mesmo que discutindo, é possível chegar a um acordo cordial.

Muitos dos comportamentos regressivos das crianças, ou seja, atitudes e habilidades que já foram superadas (como dormir sozinho, molhar a cama…) vêm de certas inseguranças criadas pelos próprios pais, entre as discussões contínuas e o desconforto geral que produzem no lar.

E isso não acontece apenas com o comportamento emocional, mas também com o comportamento cognitivo, estes são os que podem afetar seu desenvolvimento pessoal e emocional, como, por exemplo, a concentração na escola, o mau humor constante, as respostas que tomaram como exemplo e que aplicam em seu ambiente…

É claro que podemos discutir sem nos zangarmos e quando o fazemos diante de nossos filhos, acima de tudo, vamos tentar escolher um momento para que eles nos vejam chegar a uma reconciliação calorosa, seja verbal ou fisicamente, e depois envolver as crianças para que todos possam se reunir em um grande abraço.

Todos os sinais de amor e afeto que você pode dar e mostrar na presença de seus filhos ajudarão sua autoestima, sua segurança e sua personalidade a crescer forte e estável para que eles possam levar uma vida emocional plena no futuro, seja com seu parceiro, sua família ou seus amigos.

Conheça 8 consequências emocionais que afetam as crianças quando o casal discute na frente dos filhos:

Eles ficam com medo: as discussões geram medo e incerteza, e às vezes também podem causar ansiedade, que estamos incutindo neles desnecessariamente.

Sentimentos de culpa: sem saber porque os adultos discutem, as crianças tendem a pensar que é por causa delas, porque se comportaram mal, ou porque seus pais não estão satisfeitos com seu comportamento.

Distúrbios emocionais: gera baixa autoestima, que mais tarde os afetará ao longo de suas vidas.

Eles imitarão comportamentos negativos: já sabemos que as crianças imitam o comportamento dos pais, portanto isto pode levá-los a reproduzir este comportamento negativo com outras pessoas.

Trauma psicológico: ver seus pais discutirem pode causar  traumas que precisarão de ajuda para resolver. É improvável que as crianças que veem seus pais discutindo sejam capazes de conduzir uma discussão com outra pessoa de maneira civilizada, pois este não é o comportamento exemplar que elas viram de seus pais.

Isso afeta sua inteligência emocional: é claro que suas emoções são prejudicadas e muito afetadas.

Fonte: Planetamamy