Artista cria esculturas incríveis em madeira com apenas uma serra elétrica

O artista romeno Gabi Rizea é uma daquelas pessoas talentosas que conseguem transformar madeira em qualquer coisa que ele queira, usando apenas uma serra elétrica.

Rizea começou a esculpir em madeira no ano de 2014, mas o seu conhecimento e habilidade na utilização da serra elétrica cresceram significativamente nos últimos anos.

'

Ele consegue pegar num pedaço de madeira e moldá-lo em novas formas emocionantes, mostrando as melhores qualidades do material.

O artista de 42 anos descobriu o seu talento acidentalmente. Ele comprou uma serra elétrica e tentou esculpir um rosto humano num bloco de madeira apenas por diversão.

Surpreendentemente, saiu-se muito bem e ele continuou trabalhando em mais algumas peças até que os seus vizinhos começaram a solicitá-lo.

A sua última peça, chamada Apa (que significa água em romeno), alude a um balde com água a escorrer pelo tronco de uma árvore. Rizea fez essa obra de arte a partir de um toco de cinzas podres que encontrou na floresta.

Quando questionado sobre de onde tirou a ideia para a peça Apa, Rizea disse: “Não sei, na minha cabeça às vezes tenho algumas imagens. Quando trabalho, sou eu e Deus”.

Antes de começar o projeto de uma escultura, Rizea diverte-se com a madeira, e já chegou a esculpir o rosto de pessoas em troncos.

Agora, as autoridades locais de Craiova, a cidade natal de Rizea, permitem que ele trabalhe em tocos de árvores antigas em todos os parques locais.

A sua arte é vista e adorada por muitas pessoas no seu bairro, e os seus trabalhos têm ganho muita atenção on-line e conquistaram o interesse de outras cidades da Romênia.

Embora ele tenha dominado a arte de talhar madeira, a criação de novas peças ainda tem as suas dificuldades.

“Às vezes, faço esboços dos desenhos que quero esculpir, mas em 99% dos casos, a madeira simplesmente não corresponde às minhas ideias. Como tenho de trabalhar com madeira velha e altamente deteriorada, primeiro tenho de remover todas as peças apodrecidas e, às vezes, o que resta não é suficiente para os meus projetos”, explicou o artista.

Entre as suas muitas obras, encontramos um banco com o desenho de uma águia de aparência feroz.