Menino de 12 anos abre escola no seu quintal para oferecer estudo a crianças carentes

Leonardo Nicanor Quinteros é um jovem que, embora tenha apenas 12 anos, é professor de 36 crianças.

Há algum tempo, o menino se ofereceu para ensinar as crianças desfavorecidas dos bairros pobres de Las Piedritas I e II, em Pocito, Argentina.

A iniciativa foi tão bem recebida que Leonardo criou a escola “Pátria e Unidade”, no pátio da casa da avó.

Embora não seja uma escola reconhecida oficialmente, a verdade é que os estudantes de lá aprendem de verdade.

Na Pátria e Unidade, as portas são dois estrados de camas velhas, as paredes são feitas de papelão, chapa e nylon, e o interior é muito pequeno, com apenas 3 salas de aula divididas por tecidos que fazem de cortinas.

Cada sala tem um quadro, onde Leonardo escreve com pedaços de giz, e todos se sentam em tijolos em volta das mesas.

Uma das salas é o jardim de infância, para as crianças de 2 anos, e as outras duas salas são destinadas a jovens de anos mais avançados.

No exterior, estão alguns bancos, um mastro com a bandeira da Argentina e um sino para anunciar os intervalos.

A Pátria e Unidade funciona das 14 às 18 horas, mas muitas vezes Leonardo fica dando aulas até mais tarde.

“Qualquer um pode vir para cá, não apenas os do bairro. Os meus alunos estão mesmo aprendendo, não vêm só brincar”, diz o jovem professor.

Que o diga Mirta Donoso, a aluna mais velha de Leonardo, com 40 anos, que caminha mais de meia hora ao sol diariamente para poder ir às aulas.

Graças a Leonardo, Mirta já consegue escrever o seu nome, algo que a deixou muito emocionada.

A história deste jovem tornou-se conhecida, e desde então ele tem recebido vários prêmios. Agora, sonha com a possibilidade de expandir a sua escola.

“Eles disseram-me que construiriam uma sala de aula para eu continuar a ensinar. Acredito que até ao próximo ano esteja pronta”, conta Leonardo, muito entusiasmado.

Não há dúvida que Leonardo nasceu com vocação para ser professor, e esperamos que seja muito bem aproveitada.

Fonte: Partilha