Desigualdade salarial entre mulheres e homens agora é proibido na Islândia

Desde o dia 1 de janeiro de 2018, entrou em vigor na Islândia uma lei que proíbe empresas do setor público e do privado a pagar salários mais altos aos homens do que às mulheres.

Basicamente, as agências governamentais e empresas privadas que tiverem mais de 250 funcionários vão precisar obter uma certificação e comprovar que praticam políticas de remuneração igualitária.

Todos as empresas que não seguirem essa política vão ser penalizadas com multas diárias no valor de aproximadamente US$ 435 (R$2.000,00), além de uma má reputação, é claro.

Esta medida fez da Islândia o primeiro país a nível mundial a tornar obrigatório o salário igualitário entre homens e mulheres.

Antes, a Islândia funcionava com cotas – as empresas com mais de 50 funcionários deveriam ter, no mínimo, 40% de mulheres na diretoria.

Segundo o Fórum Econômico Mundial, a Islândia é o melhor país do mundo em termos de igualdade de gênero há 9 anos consecutivos.